São Paulo – Copa do Mundo impactou mercado imobiliário no bairro de Itaquera, em SP

Bairro da Zona Leste sofreu uma supervalorização, mas preço do m² já tem queda.

Costuma-se dizer que os grandes eventos esportivos mundiais deixam o seu legado no país que o sediou. No Brasil, a Copa do Mundo de futebol trouxe algumas obras de infraestrutura nas cidades que receberam jogos do torneio. Além disso, a competição movimentou o mercado imobiliário e gerou uma especulação em relação à valorização dos imóveis localizados no entorno dos estádios. Itaquera, bairro da periferia na Zona Leste de São Paulo, viveu seu boom imobiliário antes da Copa, mas será que a supervalorização dos imóveis se manteve após a realização do evento?

De acordo com dados da Prefeitura do Município de São Paulo, Itaquera tem 300 quilômetros quadrados. E justamente esta região foi eleita para construir o estádio Arena Corinthians, campo que recebeu o jogo de abertura da Copa do Mundo, entre Brasil e Croácia, em junho de 2014. Para sediar um evento de grande porte como este, é preciso também fazer melhorias estruturais, inclusive uma exigência da própria Fifa.

A melhoria da acessibilidade para o bairro é uma das contrapartidas para receber jogos da Copa do Mundo. “A prefeitura e o governo fizeram intervenções para melhorar a infraestrutura, inclusive em avenidas, ruas, calçadas. Chegaram novos comércios. O bairro ganhou uma aparência mais moderna”, afirma Flávio Prando, vice-presidente de Intermediação Imobiliária e Marketing do Secovi-SP. Túnel, faculdade de tecnologia e rodoviária também fizeram parte do pacote.

região de itaqueraRegião de Itaquera teve valorização de 100% entre 2011 e 2014 (Foto: Reprodução/Google Earth)

Os investimentos resultaram em uma valorização imobiliária no bairro e a Copa influenciou neste quesito principalmente nos meses que antecederam a competição. Segundo Flávio Prando, o pico de valorização aconteceu entre 2012 e 2013. “Neste período, o crescimento nos preços foi bastante significativo”, ressalta. Já em 2014, ano em que o torneio foi realizado, o mercado começou a reduzir a sua energia e foi neste momento que os valores já começaram a recuar. Hoje, o mercado tem se mantido no mesmo patamar. “Hoje, o patamar de valorização está abaixo do pico que aconteceu em 2012 e 2013, porém o mercado está se mantendo e está melhor do que o cenário que existia em 2011”, explica o vice-presidente.

Quem conseguiu vender o imóvel no auge da valorização do bairro, com certeza conseguiu um lucro bastante alto. “Entre 2011 e 2014, o valor do imóvel em Itaquera teve aumento de 100%”, garante Flávio Prando. De acordo com o índice FipeZap, em novembro de 2011, o preço do metro quadrado em Itaquera era de R$ 2.899. Em abril de 2012, segundo mesmo índice, o m² na região custava R$ 3.056. Já de acordo com o levantamento do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), no primeiro semestre de 2012, o valor do m² de casas passou de R$ 2.272,66 para R$ 3.508,06, um aumento de 54%. Para os apartamentos, o preço fechou em julho por R$ 2.826,40.

Em 2013, especulava-se que imóveis de 45 a 50 m² que valiam, em média, R$ 100 mil, estavam cobrando cerca de R$ 220 mil. Em abril de 2014, dois meses antes do início da Copa no Brasil, o valor do m² em Itaquera era de R$ 3.669, de acordo com o Índice FipeZap.

Porém, quem investiu no imóvel acreditando que a valorização iria continuar, que poderia fazer um bom negócio no futuro e não conseguiu vender ou lugar na época que antecedeu e durante a Copa do Mundo, amarga prejuízo. “Neste um ano e 10 meses, a redução no valor do imóvel fica entre 20% e 25%. A verdade é que agora os preços estão mais parados e o mercado se acomodou e voltou ao seu valor mais realista”, completa Prando.

Eduardo Zylberstajn, coordenador do Índice FipeZap comenta que “Nos últimos meses os preços na região têm caído mais do que no restante da cidade. Sem dúvida, essa volatilidade prejudica o mercado e dificulta as deciões das famílias. Porém Itaquera tem uma valorização acumuluada desde 2012, superior à da média da cidade. Isso não é um fenônmeno exclusivo do baurro, já que muitas outras regiões, especialmente na periferia, experimentaram algo semelhante.” Porém a Copa do Mundo no Brasil deixou um legado de certa forma, e para Eduardo, isso mostra que a dinâmica urbana pode favorecer áreas menos valorizadas e que recebem investimentos em infraestrutura.

infografico-itaquera

 

AssinaturaFlavio

Fonte: ZAP Pro

Esta entrada foi publicada em Notícias do Mercado Imobiliário. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.